domingo, 31 de julho de 2016

No barulho das gotas da chuva caindo,
No ar que eu respiro,
Nos pensamentos sem sentidos,
Eu procuro a tua presença,
Mas só sinto o quarto vazio...

A chuva não para de cair,
Minhas lágrimas não param de cair,
Eu clamando, chamando por ti,
E o meu choro, e a minha voz,
A rouquidão do choro,
Cessam-se ao cair sono...

Amor
Vejo-te no céu,
Teu nome,
Distraidamente,
Ainda rabisco em uma folha de papel...

A chuva não para de cair,
Minhas lagrimas não param de cair,
Eu clamando, chamando por ti...

E ao cair no sono
Tudo que um dia eu sonhei,
Vou rever,
Amor, amor
Ainda amo perdidamente você...

A chuva não para de cair,
Minhas lagrimas não param de cair...

A rouquidão do choro,
Cessa-se ao cair no sono...

Lucy Coelho
Poesias ficção
Ao cair no sono