domingo, 31 de julho de 2016

Eu sou um mistério
E não nego
Não sei de onde sou
Só sei que de onde vim
Já sofria de amor
Por isso, minha flor
Não posso
Te ensinar a escrever
Como escrevo
Que seria até o meu desejo
Mas terias que sentir
A minha dor...

Eu sou a brisa suave da manhã
E às vezes, sou Ventania enlouquecida
Princesa sofisticada ou simplesmente melodia
Quem sabe um dia
Te ensine as minhas rimas
Como faço as minhas prosas
Mas não será depois
E muito menos agora...

Poesias ficção – Lucy Coelho
Um Mistério