domingo, 11 de janeiro de 2015

Ventania e calmaria


Ventania e calmaria

 O teu mar é calmaria
E eu, ventania...
E é assim que te agito...

 Levanto as tuas ondas
Com meu jeito de ser,
Mas você é calmaria,
Calor sem vento...

 Tranco-me sobre a terra
Pairo perdida, inconsolada,
Sou um perigo,
Lanço-me agressiva...
Eu, ventania
E você, mar, calmaria,
Calor sem vento...

 A tua bonança,
Entristece-me,
A tua indiferença me desfaz.
Perdi-me em pequenos moinhos
De sonhos...
Sonho todas as noites,
Meu mar bravio,
Pairo sobre ti,
Em uma noite estrelada...
Eu, ventania
E você, mar, calmaria,
Calor sem vento...

 Quando em silêncio,
Sei que está em paz,
Quero a tua paz,
Mas o meu amor por você,
Não me deixa ter a tua paz,
Agito-me por inteiro...

 Como quero ver as tuas ondas
Agitadas por mim!...
Durante o dia,
Estou sobre a terra,
E é de lá que, quero me lançar em ti...
Eu não gosto de vê-lo sereno e calmo,
Mas quando te vejo agitado me calo.
Eu, ventania
E você, mar, calmaria,
Calor sem vento...


Lucy Coelho