quinta-feira, 25 de junho de 2015

Texto inspirado no filme Titanic


Titanic

Se você pular,
eu pulo também,
mas pense que a vida
é um dom maravilhoso
e não devemos desperdiça-la,
então viva por mim, e se for pular,
que seja para os meus braços
e prometo que te salvarei de todas as maneiras
que uma mulher poderia ser salva por um homem... Para sempre!...

Sei que devemos aceitar a vida do jeito que ela é,
mas tê-lo por um tempo na minha,
fez a vida valer a pena,
pois a minha era cercada de pessoas vazias,
com conversas sem conteúdo,
sentia-me diante de um precipício,
sem ninguém para puxar-me dele,
que ao menos se importasse,
ou notasse como eu estava perdida...
Mas com você, moço, fui rumo às estrelas...
  
Prometi que irei sobreviver,
não vou desistir, 
não importando o que venha acontecer,
pois te levo em mim,
como parte da minha vida,
como uma linda história guardada no meu peito,
que  nunca poderei contar,
pois o meu coração será como um oceano profundo
cheio de segredos...

Nunca mais fumei
e nunca mais fiquei nas pontas dos pés... 
Ainda vejo o teu rosto quando eu rodopio,
Ainda danço nos meus devaneios, 
a nossa primeira e única dança... 
E vivi cada momento da minha vida
como se fosse o último dia,
aventurei-me e fiz um pouco de tudo
que uma pessoa deveria fazer na vida,
Cavalguei, voei, e de todas as maneiras viajei,
mas com você, moço, fui rumo às estrelas...

E quando eu olhar para céu,
ninguém vai entender o motivo do meu sorriso,
ninguém vai entender que um dia fui ao céu
e com você estive entre as estrelas.
Sim, meu coração tornou-se um oceano profundo,
mas meu querido,
você fez a minha vida valer a pena,
não me sinto mais cercada por pessoas vazias
 e nem estou perdida,
pois à distância de um salto,
você esteve lá comigo...
E diante de um precipício  
fui salva de uma maneira
que toda mulher merecia ser.

Minha vida foi preenchida,
mesmo com a sua ausência,
me sinto realizada,
completa,
pois você tornou-se uma parte de mim.
E quando me virem diante do mar,
ninguém vai entender o motivo do meu sorriso... 
  
Nem o coração do oceano,
E nenhuma joia rara do universo,
que eu pudesse carregar em volta do meu pescoço,
poderia ser tão raro quanto o que levo dentro do peito...

E aonde você estiver,
sei que você também me eternizou, 
com a sua bela arte,
em uma folha de papel
e com o seu carvão nas mãos,
Pois a alma eterniza o amor...

Deveria está chorando,
mas a lembrança do teu olhar
e do teu sorriso enche-me de completa graça e luz,
sinto-me eternamente feliz.
E quando eu estiver olhando para o céu,
só você entenderá o motivo do meu sorriso.

In memoriam Gloria Frances Stwart (*1910 - +2010*) Eterna Rose
Lucy Coelho