sexta-feira, 21 de outubro de 2016

POESIA FICÇÃO

E quando começou a chover,
desesperada abriu a bolsa,
o que ela procurava estava no fundo, o guarda-chuva,
ao encontrá-lo, isso não a protegeu das gotas grossas e repentinas,
porque os seus sapatos e a saia longa encharcaram;
e os seus cabelos armaram,
revelando que o liso perfeito, eram lindos cachos...
E tanto as gotas da chuva
e as suas lágrimas eram incontáveis...
A tristeza tomou os céus
e o seu coração.
Sabe aquela dor interna,
que não é uma dor física, mas na alma?....
Existem infinidades de dores...
Carla, descobriu tão jovem, uma delas.
Carla, sentia-se perdida,
eu diria atordoada,
só queria ir para casa.
Seus pensamentos estavam confusos.
Somente alguém que nunca amou,
pode dizer que jamais perdeu a razão.
Assim estava Carla,
confusa com as coisas
que passavam em seu coração...

Lucy Coelho
19/10/2016